Análise – Forza Horizon 4

Qualidade e velocidade ao quadrado!

219

Filhote de uma franquia consagrada da Microsoft, é chover no molhado dizer que a série Forza Horizon é uma queridinha dos jogadores do Xbox. Lançada em 2012, o primeiro jogo da série trouxe a mesma qualidade do seu irmão mais sério, mas com uma pegada bem arcade, super descontraída, e com um clima de grande festival, que caiu nas graças dos jogadores. O esquema de mundo aberto, aliado a uma hierarquia de fases determinadas por pulseirinhas, surpreendeu os jogadores e derreteu a crítica especializada. Surgia assim uma nova franquia.

De lá pra cá, a série evoluiu e muito, e foi no Xbox One que presenciamos esse crescimento. Forza Horizon 2 ampliou a qualidade do primeiro, trazendo gráficos absurdos e o novo esquema de inteligência artificial denominado “driveatar”, com pilotos mais inteligentes baseados em jogadores reais. Já o 3 parecia ser o ápice da série, com um mundo aberto vibrante e novas categorias de corridas em uma Austrália de biomas variados e muita beleza.

O que muitos não esperavam, inclusive eu, é que Forza Horizon 4 fosse tão superior aos seus antecessores em praticamente todos os quesitos. Maior quantidade de carros, circuitos mais emocionantes, gráficos ainda melhores (principalmente pelas variações climáticas e iluminações) e um renovado sistema de jogo online, que transforma o Forza Horizon em um imenso MMO sobre rodas.

“O que muitos não esperavam, inclusive eu, é que Forza Horizon 4 fosse tão superior aos seus antecessores em praticamente todos os quesitos.”

Mudaram as estações, nada mudou. Mas eu sei que alguma coisa aconteceu Tá tudo assim, tão diferente…

Diferente do jogo anterior, onde você era o chefe pica das galáxias e tinha que administrar e ampliar o festival, agora você volta a ser um novato, com a missão de crescer e ganhar fama no festival, e isso é importante, pois o jogo agora foca muito mais no personagem do que no festival, te dando mais opções de personalização, como roupas, bonés, sapatos, inclusive comprando casas para abrir sua frota de carros, essa personalização de personagem não é tão variada, mas te coloca um pouco mais dentro do jogo, podendo escolher até mesmo o gênero do personagem. Essas gamas de opções são separadas em uma nova aba chamada Horizon Life, onde é possível administrar todos os novos aspectos sociais do game, que não são obrigatórias, mas dão uma nova alma para o jogo, já que agora todos os seus amigos e jogadores compartilham essas personalizações, deixando o jogo mais social. E sim, é muito legal desfilar sua roupa de frango depenado junto com sua dancinha de gazela voadora, os seus amigos da Live vão te ver representado lá, mesmo que não joguem juntos. Quem não curte essas opções, basta ignorar e correr, já que isso não é algo obrigatório para a experiência de jogo.

Que tal deixar seu avatar meio esquisitão? No novo Forza Horizon isso é possível, e com um monte de dancinhas.

Falando em personalização, ela está de volta aos carros que você adquire. É possível fazer inúmeras modificações estéticas e mecânicas. O modo de edição de pinturas é bem amigável, e permite adicionar adesivos e imagens variadas, sendo possível enviar sticks, buscar adesivos na comunidade, saca só meu Escort Old School Sega Rally passeando perto de algumas ovelhas:

Contar ovelinhas tá fora de moda, o negócio é espantar as coitadas.

Aproveitando a imagem acima, é bom citar também o modo de foto, que volta sem novidades, ainda sim vem muito completo, é possível tirar belas fotos ajustando vários recursos como saturação, foco, velocidade de obturador, e o cenário do jogo ajuda bastante . Inclusive você pode conferir suas imagens depois no site oficial do jogo, na seção gallery (httpss://www.forzamotorsport.net)  🙂

“…é possível administrar todos os novos aspectos sociais do game,  já que agora todos os seus amigos e jogadores compartilham essas personalizações…”

Falando sobre o mais importante, que são as corridas, como era de se esperar temos um jogo de corrida que resume basicamente o sentido da palavra COMPLETO. São corridas variadas no asfalto, na terra, na chuva, no calor, na neve… Corridas de circuito, corridas de trajeto, cross country, drift, corridas de rua. Isso tudo permeado por uma quantidade absurda de carros, todos absurdamente detalhados dentro e fora da direção. Vale muito destacar a volta dos incríveis eventos de exibição, que são provas especiais onde você corre contra veículos diversos, realiza saltos absurdos e controla carros especiais. E aí meu amigo, é onde você consegue enxergar toda sua beleza, e onde ocorrem alguns dos momentos mais épicos do jogo. Vale muito falar sobre uma corrida insana contra um trem de passageiros em plena neve, na minha opinião um dos momentos mais épicos já vivenciados em um jogo de corrida.

O escocês voador não usa saias, ainda bem.

A gama de opções supera as versão anteriores, e o novo sistema de estações do tempo, faz com que corridas nos mesmos trajetos mudem radicalmente dependendo da estação do ano, esta variação muda a forma de pilotar, se no calor você tinha um dia limpo e uma pista seca, no outono as chuvas enchem as curvas de poças, e no inverno a neve deixa tudo mais escorregadio. Esse novo conceito de estações do ano traz um grande frescor pro jogo, é muito gratificante revisitar seus trajetos em estações do ano diferentes, o que aumenta o replay do jogo drasticamente.

“…o novo sistema de estações do tempo, faz com que corridas nos mesmos trajetos mudem radicalmente dependendo da estação do ano, esta variação muda a forma de pilotar…”

É bom lembrar que jogo continua com a ótima dirigibilidade das versões anteriores, a direção arcade com um pezinho na simulação parece ainda mais acertada, mais gostosa de jogar. Jogadores mais experientes podem tirar as assistências de direção, o que dificulta as coisas, já jogadores menos habituados podem ligar mais assistências e diminuir a dificuldade, é um jogo democrático nesse aspecto, um ponto que foi sempre positivo na série. Na minha opinião, as corridas de cross country ainda são as mais divertidas do jogo, com muita lama, água, grandes ladeiras e uma sensação de emoção difícil de narrar, quem gostava das corridas de Dirty Rally por exemplo, vai se sentir em casa. Fiquei muito feliz em perceber que elas agora estão em quantidade ainda maior.

The dark side of the snow!

“…as corridas de cross country ainda são as mais divertidas do jogo, com muita lama, água, grandes ladeiras e uma sensação de emoção difícil de narrar, quem gostava das corridas de Dirty Rally por exemplo, vai se sentir em casa …”

Falando ainda sobre os eventos, o jogo eleva ao quadrado a quantidade de eventos e a variedade de provas. É muito fácil se sentir perdido com a imensa quantidade de ícones e provas a serem completadas. A dinâmica e a busca dessas provas estão menos cansativas do que em versões anteriores, já que o carro geralmente está muito próximo de uma nova prova, evitando que o jogador tenha que se deslocar por quilômetros para entrar em uma corrida. Além disso, o novo esquema de comprar casas facilita muito sua locomoção pelo cenário, já que após uma maior progressão no jogo, você dificilmente vai gastar dinheiro para realizar viagens rápidas para pontos de personalização, a tendência é que você sempre tenha uma casa por perto.

“…Vale muito falar sobre uma corrida insana contra um trem de carga em plena neve, na minha opinião um dos momentos mais épicos já vivenciados em um jogo de corrida. …”

Um aspecto de Forza Horizon que teve poucas melhorias foi o som, as estações de música estão melhores (pelo menos para o meu gosto). Os motores dos carros continuam fiéis aos carros selecionados e dublagem em português-br continua sensacional, dentro de sua proposta. Novas opções de buzinas e a já conhecida assistente ANNA, que te guia nos trajetos e eventos, estão lá, sem grandes modificações.

Seu fusca não fala, mas come uma poeira desgramada…

Entre as novidades bem vindas, está a nova câmera do sem visualizar o volante do jogo, ideal para quem joga com volante em vez do joystick. Ponto negativo pro sistema de replay, que volta sem novidades, o que é uma pena, já que ainda sonho com o Forza Horizon com um sistema mais cinematográfico, como o da série Gran Turismo.

De fato não é absurdo achar que a série chegou ao seu ápice nessa geração, e dificilmente veremos um novo Forza Horizon no Xbox One. Aos veteranos, a sensação é de jogar algo já conhecido, só que muito aprimorado, e aos novatos, recomendo nem revisitar os antigos e focar neste, que é o mais completo e bonito da série.

Aqui você pode derrapar à vontade sem ninguém te discriminar.

Se tem um elogio final que eu possa dar a este jogo, é que ele é definitivamente o melhor e mais completo jogo de corrida arcade já lançado na história dos videogames, e vai ser difícil alguém superar essa marca até a chegada do Forza Horizon 5. Estamos esperando Playground Games.

“…definitivamente o melhor e mais completo jogo de corrida arcade já lançado na história dos videogames…

Forza Horizon 4 está disponível para Xbox One e PC (Windows Store). E também disponível para todos os assinantes da Xbox Game Pass.

"Maniômetro"

GRÁFICOS10
SOM9.8
JOGABILIDADE10
DIVERSÃO10
REPLAY10

Prós

  • Muita coisa a se fazer
  • Beleza descomunal
  • Funções sociais divertidas
  • Corridas de exibição

Contras

  • Função de replay das corridas poderia ter sido aprimorada.

Conclusão

10Assim como The Witcher 3 e o novo Zelda elevaram o patamar dos jogos de RPG e Aventura, Forza Horizon 4 eleva os jogos de corrida arcade para um outro nível. Cenários descomunais, novas opções de customização, centenas de carros e uma variedade de coisas absurda, é fácil dizer que Forza Horizon 4 é o melhor jogo arcade de corrida de todos os tempos.

Luiz El Cumbachero
o autorLuiz El Cumbachero
Luiz Eduardo
Baiano de nascença, se a vida se resumisse em comer farofa apimentada e ouvir Pink Floyd já estava de bom tamanho pra mim. Fã de games desde o primeiro contato com o Sonic no Mega Drive, divido hoje a paixão com meu filho Marcos de 5 anos, que já está me dando uma surra nos jogos.

Deixe uma resposta