Análise – Capcom Fighting Collection

Última atualização:
Lançamento
24/06/2022
Desenvolvido por
Capcom
Publicado por
Capcom

Capcom Fighting Collection é uma coletânea com 10 jogos de arcade da Capcom, cujo 5 são Darkstalkers, onde os fãs poderão reviver jogos clássicos ou ter acesso a alguns mais obscuros do final da fase de ouro dos arcades. Nessa coleção a Capcom trouxe pra galera Red Earth, Cyberbots, Super Puzzle Fighter Turbo, Super Gem Fighter, Hyper Street Fighter 2: The Anniversary Edition, Darstalkers, Night Warriors, Vampire Savior, Vampire Hunter 2 e Vampire Savior 2, esses 2 últimos era exclusivos dos arcades japoneses.

Você lembra de Darkstalkers?

Talvez, por não ser uma das franquias mais populares de luta, a Capcom não quis fazer a coletânea apenas de Darkstalkers, mesmo tendo uma base de fãs considerável, ele não é um fenômeno de popularidade, tanto que seu último jogo é de 1997, a Capcom colocou as 5 versões que lançou para arcade da franquia Darkstalkers aqui, começando com:

Darkstalkers: The Night Warriors de 1994, lançado no Japão com o nome de Vampire: The Night Warrior, um jogo de luta com mecânicas parecidas com Street Fighter 2 mas que utiliza personagens baseados nas lendas e folclore góticos de vários países sobre monstros, assim temos um vampiro romeno, um Lobisomem britânico, um Pé grande do Alaska, uma armadura possuída por um espirito japonês, um robô que ganhou a vida alemão e por aí vai.

Night Warriors: Darkstalkers Revenge é a sequência da franquia, lançada em 1995, no japão saiu com o nome de Vampire Hunter: Darkstalkers’ Revenge, ela traz a adição de mais 2 personagens, Donovan e Lei-Lei e deixando selecionar os chefes do jogo anterior Huitzil e Pyron, além de adicionar novas mecânicas.

Vampire Savior: The Lord Of The Vampires é o terceiro jogo de 1997, nele tivemos a saída dos chefões dos jogos anteriores Pyron e Huitzil além de Donovon e a adição de Q-Bee, B-B-Hood, Lilith e Jedah que é o novo chefão final.

As duas últimas versões de Darkstalkers na coletânea são na verdade versões diferentes do 3° game que saíram apenas nos arcades japoneses, trocando alguns personagens por outros, Vampire Hunter 2 usa os mesmos personagens do 2° jogo, mas com as mudanças no gameplay do terceiro e Vampire Savior 2 remove Jon Talbain, Rikuo e Sasquatch para trazer de volta Pyron, Huitzil e Donovan.

E o resto da coletânea?

Aproveitando que estava mexendo no seu baú de jogos lados B a Capcom adicionou mais 4 jogos não famosos a coletânea;

Red Earth que nunca saiu nos consoles, um jogo de luta um tanto quanto diferente pra sua época, usando sistema de progressão de level e passwords para continuar em outras jogadas. Ele lembra um poucos os beat n up mas são lutas de 1 contra 1.

Super Puzzle Fighter Turbo, um jogo no estilo de Tetris Attack com os personagens de Street Fighter Alpha, Red Earth e Darkstalkers em versões Chibi, você vai empilhar pedras da mesma cor, para depois explodi-las e jogar para tela do seu adversário, mas sempre cuidado porque seu inimigo pode fazer o mesmo.

Super Gem Fighter Minimix que pega essas versões chibi dos personagens de Super Puzzle Fighter para lutarem com mecânicas diferentes utilizando as gemas, um jogo de luta simples, com poucos botões e uma dinâmica simplificada baseado em acumular pedras para melhorar seus golpes.

Cyberbots: Full Metal Madness é um spin-off/continuação de Armored Warriors um beat n up com robôs, Cyberbots larga o estilo briga de rua para virar um jogo de luta tradicional, onde você escolhe o seu piloto e o robô que ele utilizará, esse jogos foi quem nos apresentou Jin Saotome, mais conhecido por sua participação em Capcom vs Marvel.

Não sobrou nenhum famosinho?

Se nenhum desses jogos da Capcom tão famosos quanto os participantes do reality show A Fazenda forem o suficiente para te convencer a jogar essa coleção a Capcom colocou seu jogo mais famoso em uma versão que até então tinha saído apenas no PlayStation 2. Hyper Street Fighter 2: The Anniversary Edition traz todos personagens de todas as versões de Street Fighter 2 (e olha que são muitas) para você escolher e por para brigar, você pode colocar o Zangief de Street Fighter 2 para lutar com o Zangief de Super Street Fighter 2 Turbo pra ver quem é melhor. Além claro de poder reviver o momento clássico em que Akuma aparece pela primeira vez, derrotando M. Bison e sendo o seu chefão secreto.

 

Recursos extras

Todos os jogos da coletânea possuem os mesmos recursos extras, são eles:

Modo de treino, parecido com o que as as versões caseiras dos games recebem, você escolhe a posição e reação do adversário e pratica seus golpes e combos.
Escolha da versão (os jogos lançados apenas no Japão não tem essa opção), você escolhe aqui se quer a versão americana ou japonesa do jogo, alguns games mudam até de nome, outros mudam nomes de personagens, mas em si os jogos continuam os mesmos.
Opções de dificuldade, velocidade do cronometro e força dos golpes, podem dar aquela mexida na máquina que os arcades não te permitiam.
Galeria, onde você pode encontrar várias ilustrações e rascunhos do desenvolvimento dos games.

Além disso o carro chefe das novidades são as batalhas online, todos os jogos você pode fazer tanto batalhas casuais, rankeadas ou personalizadas, além de serem crossplataform.

Uma coleção grande e pobre ao mesmo tempo.

Capcom Fighting Collection apesar de seus 10 jogos, modos extras e demais perfumarias, se mostra no final uma coleção pobre, onde claramente a Capcom viu que apenas Darkstalkers não teria apelo o suficiente e decidiu encher de jogos série B pra ver se vendia mais.

Gráficos e sons continuam bons nos games, como eram na época em que foram lançados, mas isso não justifica uma coletânea a parte e até com menos qualidade que outra que a Capcom já tem, que é o Capcom Arcade Stadium, que traz até recursos que faltam nessa coleção como acelerar o tempo e retroceder.

Se você for muito fã de Darkstalkers ou de jogos de luta antigos esse jogo é pra você se não for o caso, não vale a pena pagar por uma coleção de emuladores.

Esta análise só foi possível graças a Capcom, que gentilmente nos disponibilizou uma cópia para avaliação do jogo, fica aqui o nosso agradecimento pela confiança. O jogo já está disponível para Xbox One e Xbox Series X|S e pode ser adquirido por meio do nosso link afiliado no final desta análise.

Análise – Capcom Fighting Collection
Conclusão
Capcom Fighting Collection é uma coleção de 10 jogos sendo 5 deles Darkstalkers, outros 4 pouco conhecidos ou relevantes e um Street Fighter 2 requentado. Recomendo apenas para quem é muito fã.
Gráficos
7
Som
7
Jogabilidade
8
Diversão
10
Prós
Jogabilidade Precisa
Lutar Online
Contras
Muitos jogos apenas para fazerem volume
Sem adições realmente interessantes
8
Sem Graça
COMPRE AQUI SUA CÓPIA DIGITAL DE Capcom Fighting Collection

Se inscrever
Notificar de
guest

0 Comentários
Feedbacks embutidos
Exibir todos os comentários