Análise – Aragami 2

Última atualização:
LANÇAMENTO
17/09/2021
DESENVOLVIDO POR
Lince Works
PUBLICADO POR
Lince Works

Aragami 2 é um jogo de Stealth em terceira pessoa, desenvolvido e publicado pelo estúdio indie Lince Works, de Barcelona. É um estúdio focado em jogos stealth, tendo sucesso já em seu primeiro jogo, Aragami. Essa sequencia trouxe muitas melhorias e lembra muito o injustiçado Tenchu Z, que trouxe a opção de criar personagens, alterar peças de roupas e uma história diferente e sem ligação com o primeiro jogo. Embora haja essa comparação com Tenchu, Aragami 2 consegue se destacar e ir além, com uma jogabilidade mais fluida e desafiadora.

O primeiro jogo já era um excelente stealth, com mecânicas únicas e uma direção de arte excelente. No primeiro jogo, já ficava claro que a equipe da Lince Works tem talento, mas o jogo apesar de ser excelente, tinha muito a melhorar. E é exatamente o que acontece com o segundo jogo, onde eles mostram do que são capazes.

A história se passa no vale Rashomon, onde o clã dos Aragami, Kurotsuba tenta sobreviver a sua maldição e as investidas do clã Akatsuchi. Aqueles que se tornam Aragami, tem a habilidade de controlar sombras, mas também possuem uma doença espiritual que os corrói e devora suas mentes. Ao longo da história, o clã Kurotsuba tenta recuperar suas almas e sua humanidade. Embora seja uma premissa simples, a história é interessante e tem bons plot twists.

Aragami 2 já começa com excelentes mudanças na jogabilidade, adicionando pulo duplo, simplificando a habilidade de dash das sombras, mudando como as skills funcionam, e adicionando um sistema de combate. Todas essas mudanças são muito bem vindas, pois deixaram o jogo muito mais fluído. Outras grandes mudanças também foram na direção artística e nos cenários. Os gráficos agora não são mais cell shading, dando acabamentos excelentes aos personagens, porém as texturas dos cenários com um tom mais realista parece não combinar muito com o gráfico dos personagens. No Xbox One as texturas parecem de baixa qualidade, o que melhora um pouco no PC, mas ainda é necessário melhorar nesse aspecto. Ainda na parte gráfica, alguns bugs são vistos á distancia. No Background tem modelos com bugs bem aparentes e inimigos fora do alcance de drawn distance não tem animação de andar ativada, o que se torna uma visão bem estranha.

O sistema de customização é bem completo. Com muitas peças e cores pra trocar.

Quanto aos cenários, cada um fica dividido em missões, que se passam quase nos mesmos locais. As primeiras missões tem áreas pequenas para explorar, com poucos inimigos e apenas um ponto de fuga no fim da missão. A medida que o jogo avança, as missões liberam mais partes do cenário, dando muito mais liberdade parar criar seu próprio caminho durante a missão, e com mais itens escondidos para achar, é claro. É possível encontrar colecionáveis pelo cenário, além de diagramas de cosméticos, runas e tinturas para mudar suas cores. Os cenários são muito bem feitos e detalhados, em um ponto ou outro é possível achar caminhos alternativos. Um grande destaque para os ambientes fechados como o palácio no território Akatsuchi com vários andares e civis que caso o avistem, avisarão ao guarda mais próximo.

Os inimigos  tem pouca variedade no início, mas ao longo do jogo aparecem outros tipos mais desafiadores. Todos são bem eficientes no combate e conseguem atrapalhar seu avanço. Os inimigos de chapéu e os lançadores de magia, por exemplo, estão sempre posicionados de forma estratégica e nunca deixam seus postos, o que dificulta na hora de elimina-los. Eles não vão ceder a provocações para serem emboscados. Diferente do primeiro jogo, Aragami 2 tem um sistema de combate, o que permite enfrentar os inimigos, caso queira, ao invés de simplesmente morrer com um único hit. Os combates são difíceis e se você não praticar, é melhor evita-los a todo custo.

No final de cada missão aparece uma tabela de pontuação que define a sua classificação. Ser visto pelos inimigos, morrer e deixar inimigos avistarem corpos de outros inimigos assassinados, são coisas que abaixam sua pontuação. Existem também três marcas que aparecem de acordo com sua performance. Uma para quando você faz a missão sem ser visto, outra para quando não mata nenhum inimigo, e a ultima para quando você mata todos os inimigos. No começo do jogo é tranquilo tentar matar todos os inimigos sem ser visto. Já do meio para o fim do jogo começa a ficar cansativo fazer isso sozinho, portanto o mais recomendado é atordoar seus inimigos e tentar não ser visto. Assim a missão não fica tão maçante e passível de erros e repetições.

O ninja que habita em mim, saúda o ninja que habita em você
O ninja que habita em mim, saúda o ninja que habita em você

Como indiquei, não vale muito a pena entrar em missões com 40, 60 ou mais inimigos para mata-los sozinho. É bem fácil cometer um engano e acabar com 60/61 inimigos mortos e acabar tendo que repetir a missão, caso queira cumprir esse objetivo. E é aí que entra a graça do Coop!
Em muitos pontos difíceis de passar despercebido, é bom contar com amigos para criar emboscadas combinadas e não dar tempo dos inimigos reagirem. Uma das melhores coisas é poder se dividir em diferentes direções, ficando mais rápido de coletar ouro e acabar com todos os inimigos. As únicas coisas que devem ser coletadas individualmente são os coletáveis escondidos do cenário.

É possível jogar com até 2 amigos, ou aleatórios caso tenha coragem de arriscar.
O que torna o Coop uma opção mais interessante, é a diversidade de estilos de jogabilidade. Cada um tem seu próprio estilo de jogo e investe em diferentes habilidades, o que trás mais profundidade as jogadas estratégicas.


Um jogador pode focar em habilidades de combate, outro nas passivas e um outro jogador em habilidades ativas. O quanto cada um investe seus pontos em cada habilidade pode mudar as abordagens também. Um exemplo: seu amigo preferiu gastar pontos com a habilidade de usar névoa para atordoar inimigos, enquanto você focou em marcar inimigos e ficar invisível enquanto está encostado na parede. Enquanto ele se foca na execuções, você está focado em furtividade e reconhecimento.

Vale destacar que o coop é crossplay entre plataformas, mas como está em Beta ainda, erros ocorrem com frequência. É frustrante ter esse tipo de problema, mas não é nada que futuros patchs não resolvam.

Análise – Aragami 2
CONCLUSÃO
Um jogo de Stealth divertido com uma jogabilidade fluída e excelente.
Gráficos
8
Jogabilidade
9.5
Som
9
Diversão
10
PRÓS
Gráficos excelentes
Jogabilidade fluída
Coop divertido
CONTRAS
Bugs visuais
Problemas de conexão no Coop
9
Viciante
COMPRE AQUI A SUA CÓPIA DIGITAL DE ARAGAMI 2

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks embutidos
Exibir todos os comentários