Análise – Hyperbrawl Tournament

Última atualização:
Lançamento
20/10/2020
Desenvolvido por
Milky Tea Studios
Publicado por
Milky Tea Studios

A febre dos jogos competitivos não diminuiu nos últimos meses, pelo contrário, ela aumentou exponencialmente nessa pandemia. Hyperbrawl Tournament aproveita esse momento e tenta conquistar um lugar ao sol.

O game chegou aos consoles e PC em novembro de 2020. Pode ser que você, caro leitor, tenha deixado passar batido o seu lançamento. No meu caso, eu só conheci o título porque faço parte da equipe de redatores do Xbox Mania, caso contrário, teria passado em branco também.

Vou tentar descrever, de uma forma resumida, do que se trata Hyperbrawl Tournament. Ele é um jogo de arena, uma mistura de Handbol com luta. Seu objetivo é fazer o máximo de gols, dentro de um round. Quem conquistar 3 rounds primeiro, será o vencedor. Ele foi desenvolvido e publicado pelo estúdio Milky Tea Studios.

Vendo os trailers fiquei ligeiramente interessado em analisá-lo. Vou compartilhar minha experiência com ele nos próximos parágrafos.

Destino é você?

Hora de treinar

Antes de começar os campeonatos de fato, somos conduzidos ao um pequeno treinamento, denominado Provações. O objetivo aqui é aprender os comandos mais básicos, para só depois entrar de fato nas ligas. O treinador, que lembra muito o vilão Destino da Marvel, nos orienta passo a passo como executar determinadas jogadas.

A meta é fazer o máximo de gols em uma rodada. Para que isso aconteça devemos lançar a bola em direção ao gol adversário, pode ser em linha reta, com curva (possível com o uso do analógico direito), na diagonal, do jeito que você quiser. Todavia, porém, entretanto, o jogo não tem goleiro, pois as batalhas são 2 contra 2, mesmo assim, não é tão simples de pontuar. Pois os adversários farão de tudo para te impedir.

Fazer gol desse jeito é fácil.

Para quebrarmos a defesa do adversário contamos com golpes desferidos com as mãos e com os pés. Se atingirmos o jogador do time adversário por várias vezes, o nocautearemos, tirando-o do round momentaneamente. Existe outra maneira de realizarmos esse tipo de ação, usando uma das armas escolhidas antes da partida começar. O arsenal é limitado e dividido basicamente em dois tipos: ataque (visando o nocaute/roubo da bola) e proteção (visando impedir que a bola chegue ao gol).

Há também uma espécie de barra de energia, que depois de cheia, permite o uso de golpes especiais que poderão nocautear o adversário instantaneamente, jogando-o, dependendo da situação, fora da arena. Passado pela Provação, teremos a chance de desfrutar a Liga/Copa ou o modo on-line.

Jogando na Liga

No game temos a Liga Galáctica e a Copa Cósmica. O calendário das duas competições ficam entrelaçados, dando um total de 15 jogos. A Liga é um campeonato de pontos corridos, já a Copa tem as chaves, com quartas de final, semifinal e final. Os níveis de dificuldade são divididos em Bronze, Prata e Ouro.

Aqui tive o meu primeiro problema com o game, depois de 9 partidas, resolvi parar e desligar o console. No dia seguinte, voltei a ligá-lo para continuar e finalizar a sequência de partidas. Infelizmente, por algum motivo que não entendi até agora, o meu save havia sumido. Tive que começar tudo de novo.

Eu não curti a quantidade de rounds necessários para vencer uma partida. No modo off-line é necessário vencer 3 rounds para ganhar o jogo. Eu particularmente achei longo, porque jogando no modo multiplayer, me deparei com partidas que bastava ganhar dois rounds. Ao meu ver, essa quantidade é suficiente para deixar os embates mais dinâmicos e divertidos.

Outro ponto que me desanimou bastante foi a estrutura do gameplay, que tornou-se extremamente repetitivo na medida que eu avançava na Liga. Ao meu ver, as ligas poderiam ser um pouco menores e as Copas poderiam estar separadas, diminuindo assim a sequência de jogos necessários para fechar um evento. Eu cheguei em um ponto, que não tinha mais vontade de fazer gols descolados. Eu apenas corria em linha reta para fazer o ponto.

Para tentar contornar esse problema, resolvi jogar na liga mais difícil, para ver se a dificuldade e o desafio me fariam querer mais do jogo. A única coisa que mudou foi a velocidade que os meus adversários atacavam e defendiam. Nesse ponto, comecei a querer desistir do game. Foi aí que resolvi testar o modo on-line.

Jogando com pessoas de verdade

Pelo que eu percebi o modo on-line desse jogo está bem movimentado. Em todas as minhas tentativas, consegui uma partida rapidamente. A primeira delas eu perdi miseravelmente. Nas seguintes me sai melhor, ganhando praticamente todas.

Com relação a resposta, não percebi nenhum tipo de lentidão/travamento. O único problema que tive jogando on-line está relacionado a um bug com a bola, que ficou presa na parede, impossibilitando a continuidade da partida. Depois de um tempo parada, a bola explodiu e pudemos dar continuidade ao jogo.

A parte do multiplayer foi a que mais me empolgou, porque jogar com pessoas de verdade é muito mais divertido e imprevisível. Foram embates que me fizeram pensar e criar estratégias de ataques diferenciadas. Se você tem esse jogo e desistiu dele por algum motivo, aposte no modo on-line, que ao meu ver, vale a pena.

Fim da partida

Com relação a parte gráfica, eu achei bem simples. A modelagem dos personagens é legal, mas há pouca variedade, tornando os adversários uma espécie de clones com nomes estranhos. Já a parte sonora, deixou um pouco a desejar, principalmente a narração que não empolga muito.

Os cenários são bem coloridos e tem neon para todos os lados, dando um ar futurístico as arenas. Alguns possuem obstáculos que atrapalharão você e o seu adversário. Infelizmente há pouca variedade e depois de alguns jogos você nem liga mais para o tipo de cenário que está jogando.

Eu sinceramente não curti muito o jogo. Como disse no início da análise esse é um tipo de jogo que não curto, mas tentei dar uma chance porque nos trailers ele parecia ser bem interessante. A parte interessante, infelizmente, foi sumindo na medida que eu jogava. Se você curte jogos do gênero e tem como objetivo o modo on-line, pode ser que curta o jogo.

Esta análise só foi possível graças a Milky Tea Studios, que gentilmente nos disponibilizaram uma cópia para avaliação do jogo, fica aqui o nosso agradecimento pela confiança. O jogo já está disponível para Xbox One e Xbox Series X|S e pode ser adquirido por meio do nosso link afiliado no final desta análise.

Análise – Hyperbrawl Tournament
Conclusão
Hyperbrawl Tournament é um jogo competitivo que tenta encontrar o seu lugar ao sol. Mas que infelizmente escorrega com uma jogabilidade limitada e repetitiva.
Gráficos
5
Jogabilidade
4
Som
4
Diversão
4.5
Prós
O modo on-line funciona muito bem, fácil de encontrar partidas e é o modo mais divertido do game.
Contras
Mecânicas repetitivas
Cenários coloridos, mas com poucos detalhes
A Liga e a Copa juntos, tornam o campeonato longo demais
4.5
Sem graça
COMPRE AQUI E AJUDE O XBOXMANIA

Leia Mais
Mass Effect Legendary Edition será lançado em Maio